Justiça na cabeça de Cohene

Categorias: Futebol


Nacional x V.Setubal

O Estádio da Madeira, na Choupana, foi palco de um duelo entre equipas que revelaram um enorme equilíbrio ao longo dos noventa minutos. Se por um lado o Nacional, no primeiro tempo, revelou um ligeiro ascendente conseguindo dar a volta a um resultado desfavorável, ainda antes do intervalo, não é menos verdade que, na etapa complementar, o Vitória comandou, por completo, as operações e chegou de forma inteiramente justa à divisão de pontos num terreno tradicionalmente difícil para as equipas que o visitam.

O Vitória inaugurou o marcador, à passagem do sétimo minuto, através de Bruno Sabino que aproveitou da melhor forma uma defesa incompleta do guarda-redes Gottardi, após um potente livre, a cerca de 30 metros da baliza nacionalista, cobrado pelo lateral esquerdo sadino, Nélson Pedroso.

Nacional x V.Setubal

Ramon Cardozo, desta vez, não marcou mas cotou-se com uma exibição muito positiva.

No entanto os madeirenses reagiram e chegaram à igualdade através de um cabeceamento de Mário Rondon que correspondeu bem a um livre marcado da direita. O relógio assinalava catorze minutos de jogo.

O Nacional soube aproveitar um período de menor acerto do Vitória para, ainda antes do intervalo, se colocar em vantagem. Num lance de enorme infelicidade para a defensiva sadina, um jogador do Nacional remata fora da área, a bola embate num defensor verde-e-branco com o polaco Pawel Kieszek, numa defesa de recurso, a conseguir desviar a bola para a trave mas esta, caprichosamente, a ficar junto à linha de golo onde surge Mário Rondon, rápido sobre o esférico, a rematar para baliza.

O empate poderia ter chegado no fecho do primeiro tempo quando Cardozo, já em desequilíbrio, conseguiu cabecear por cima da trave do guarda-redes nacionalista.

CDNvsVFC01_520x440

Javier Cohene colocou justiça no marcador.

Na segunda parte o figurino do jogo alterou-se por completo e o Vitória passou a comandar as operações com Dani, Pedro Tiba e Miguel Pedro a tomarem conta do meio campo e a lançarem com perigo os homens mais avançados do Vitória.

Num desses lances e após mais uma transição rápida do Vitória, Rafael Martins atira à trave da baliza do Nacional, depois de um cruzamento de Pedro Queirós e excelente simulação de Ramon Cardozo que deixou passar a bola para o brasileiro finalizar.

A justiça no marcador tardou mas acabaria por chegar, ao minuto 83′, num lance de insistência do lateral esquerdo, Nélson Pedroso, que cruzou a bola para a área madeirense e encontrou o central, Javier Cohene, livre de marcação que cabeceou para o fundo das redes do Nacional. Estava reposta a igualdade.

Já perto do final Ramon Cardozo teve na cabeça os três pontos, para o Vitória, mas a bola que se dirigia para a baliza embateu no corpo de Mexer e foi desviada para canto.

O Vitória acabou por somar mais um ponto no campeonato e leva, já, oito jogos oficiais sem conhecer o sabor da derrota, sendo que nos últimos quatro jogos, para a Liga Zon Sagres, regista dois empates e duas vitórias (EVVE).

FolhaConstituicaoEquipaCDNvsVFC_11JornLZS

 

 

 

 



Deixe o seu comentário

Necessita de ter a sua sessão ligada para poder comentar.