Berto atraído pela grandeza do Vitória

Categorias: Futebol


DSC_0290

Hildeberto José Morgado Pereira, Berto, como quer ser conhecido a partir do momento que chegou ao Vitória Futebol Clube, quer triunfar no seu regresso a Portugal. O avançado de 22 anos, internacional pelas camadas jovens de Portugal, não vê a hora de se estrear na I Liga com a camisola verde e branca.

“Estou muito ansioso. É o sonho do meu pai, ainda para mais num histórico como o Vitória. Tive num colégio em criança e quando saí estava muito focado no futebol ele ia ver os meus jogos nos Frielas e disse-me que eu tinha algo de especial comigo. Desde esse momento, prometi-lhe que ia ser profissional e jogar na I Liga. Quando eu e o Presidente do Vitória, Dr. Vítor Hugo Valente, chegámos a acordo, nem queria acreditar que ia jogar no Vitória e na I Liga”, disse. 

As recentes passagens pelo futebol polaco e britânico deixaram-no insatisfeito, apesar de terem sido boas experiências. Mas agora, sente que está na hora de se afirmar no futebol do país que o viu nascer. 

“Quando fui para Inglaterra não foi difícil, mas estranho. A realidade é diferente não sabia falar uma palavra de inglês e fui sozinho, pelo que a adaptação foi complicada. Sentia-me muito deslocado. Na Polónia, pensei várias vezes antes de assinar pelo Légia. Acabei por ficar pensando que adaptação fosse fácil mas enganei-me. A língua é diferente, as pessoas são muito frias, como o país. A época não correu como esperava devido a uma lesão, depois houve mudança de treinador e acabei por ser emprestado”, recordou.

Sendo o Vitória um clube de grandes pergaminhos no futebol nacional e até internacional, como faz questão de referir, Berto garante que não poderia ter escolhido um clube melhor para se afirmar no principal campeonato do nosso país. 

“Sinto que esta foi a decisão certa. Muitos dos jovens que passaram pelo Vitoria destacaram-se e foram para grandes clubes. Tenho um percurso nas camadas jovens das seleções e um dos meus sonhos, para além de ajudar o Vitória a alcançar os objectivos, é voltar à Seleção”, referiu.

Na mala que o acompanhou na viagem até Setúbal, traz uma mão cheia de sonhos e o principal é ajudar o Vitória a realizar uma boa temporada.

“É claro que tenho sonhos, mas neste momento estou totalmente focado no Vitória e vou dar tudo por este clube, durante todo o tempo em que aqui estiver. Tenho de retribuir o que os dirigentes do Vitória estão a fazer por mim”, sustentou. 

Berto mal teve tempo para conhecer os cantos à casa e poucas horas depois de ter chegado Setúbal foi utilizado no jogo de apresentação da equipa aos sócios. O apoio que recebeu das bancadas foi um momento para mais tarde recordar.

“Quando cheguei ao balneário estava no meu canto porque só conhecia um ou dois jogadores (Mano e Zequinha), outros só conhecia de os ver jogar na televisão, mas o capitão de equipa (Vasco Fernandes) disse-me para me sentir em casa e que este é um balneário muito unido. No jogo, foi bom sentir o apoio dos adeptos”, concluiu. 

 

 



Deixe o seu comentário

Necessita de ter a sua sessão ligada para poder comentar.